domingo, 14 de março de 2010

Invista no Futuro do seu Filho.


Porque tão importante quanto as escolhas do seu filho no futuro são as escolhas que você pode fazer por ele hoje.

Médico, cientista, engenheiro ou biólogo, não importa. Seu filho sonha com uma profissão no futuro. E você, com certeza, sonha em dar a ele a melhor formação educacional, que é a base para a realização de todos os seus projetos de vida.

Com o Porto Seguro Previdência Infantil você investe um pouco todo mês, acumulando recursos que garantem uma renda auxiliar para a formação acadêmica e início da vida profissional do seu filho, neto, sobrinho ou afilhado. Uma maneira planejada e segura de garantir os estudos de quem é importante para você, com a solidez de uma das maiores seguradoras do país.

Contrate o quanto antes o Porto Seguro Previdência Infantil. Assim, seu filho pode sonhar à vontade, porque um futuro cheio de conquistas e realizações estará garantido.

Para pessoas com necessidades e condições diferentes.

O Porto Seguro Previdência Infantil oferece 3 opções de planos: VGBL Futuro Garantido, VGBL e PGBL.

Veja qual deles se adapta melhor a você.

VGBL FUTURO GARANTIDO

PGBL

VGBL

Quem pode contratar

Pai, mãe ou responsável legal

Pais, tios, padrinhos, avós, etc.

Pais, tios, padrinhos, avós, etc.

Tipo de aplicação

Multifundos

Único Fundo ou Multifundos

Único Fundo ou Multifundos

Ideal para

Quem faz a Declaração de I.R. Simplificada ou é isento. (Não pode ser deduzido do I.R.)

Quem faz a Declaração Completa e tem o menor como dependente. (Dedutível até 12% da renda bruta anual.)

Quem faz a Declaração de I.R. Simplificada ou é isento. (Não pode ser deduzido do I.R.)


Fonte: site Porto Seguro


Entre em contato conosco e comece hoje mesmo a Investir no Futuro de seu Filho(a).


Att.

Patricia Campos

Telefax: (31) 3463-2838 / Cel: (31) 9675-5477


*Seguro Garantia *Seguro de Vida *Plano de Saúde
*Responsabilidade Civil *Equipamentos *Automóvel

Eletronorte vai participar do leilão de Belo Monte

O governo ainda não definiu o modelo de participação da Eletrobrás no leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte, mas a estatal já escolheu a subsidiária que a representará. “A Eletronorte estará de qualquer maneira em Belo Monte. Se a Eletrobrás estiver dentro do consórcio, a Eletronorte estará dentro de Belo Monte”, declarou o presidente da holding estatal, José Antonio Muniz. A obra, no Rio Xingu, no Pará, está estimada entre R$ 16 bilhões e R$ 20 bilhões, mas há expectativa no mercado de que possa alcançar até R$ 30 bilhões.

Muniz justificou a escolha alegando que a subsidiária participa do planejamento da hidrelétrica desde a sua origem. Segundo ele, foi proposital a ausência da Eletronorte nas duas grandes usinas do Rio Madeira, em Rondônia. Na de Jirau participam do consórcio duas de suas subsidiárias, Eletrosul e Chesf; em Santo Antônio está Furnas, outra empresa do grupo. “A Eletronorte foi preservada para ser um participante de Belo Monte. Desde 1975, ela vem trabalhando nesse projeto. Seria uma injustiça não entrar. Está lutando há 35 anos por isso”, argumentou.

O projeto de construção de uma usina no Rio Xingu, com capacidade de geração de 11 mil megawatts de energia elétrica - quase o dobro de todo o complexo do Rio Madeira -, voltou à pauta do governo no ano passado e foi incluído entre as principais obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Dois consórcios privados estão se desenhando para a disputa. Um deles é formado pela Vale, Neoenergia, Andrade Gutierrez e Votorantim; o outro, pela Odebrecht e Camargo Correa, com possibilidade de entrada da CPFL e da Braskem.

Estratégia

O presidente da Eletrobrás não descarta a possibilidade de outras subsidiárias do grupo entrarem nos consórcios, se esse for o modelo escolhido, mas ressalta que caberá ao conselho de administração da holding a decisão final sobre o seu representante. O governo já decidiu que a holding estatal participará do projeto seguindo o modelo de “minoritário relevante”, ou seja, com até 49% e participação nas decisões estratégicas do projeto, o mesmo modelo que vem sendo utilizado em parcerias da Petrobras com empresas privadas.

A decisão de garantir a participação da holding Eletrobrás no projeto - e não uma subsidiária isolada - faz parte da estratégia do governo de turbinar a estatal. Belo Monte, quando concluída, será a terceira maior hidrelétrica do mundo. O governo trabalha para licitar a obra até o fim de abril.

Fonte: UAI - Agência Estado

Att.

Patricia Campos

Telefax: (31) 3463-2838 / Cel: (31) 9675-5477


*Seguro Garantia *Seguro de Vida *Plano de Saúde
*Responsabilidade Civil *Equipamentos *Automóvel

Mensagem do Céu

Se tens amigos, busca-os

E Cristo é o ENCONTRO

Se tens inimigos, reconcilia-te

Jesus é PAZ

Se tens pecado, arrependa-se

Cristo é PERDÃO

Se tens soberba, sepulta-a

Jesus é HUMILDADE

Se tens trevas acende o Teu farol

Cristo é LUZ

Se tens tristeza, reavive a alegria

Jesus é GOZO de alegria

Se estas nos erro, reflete

Cristo é VERDADE

Se tens ódio, esquece

O Senhor Jesus Cristo é AMOR

Eii amados de Deus, em preparação nesta quaresma, vamos retirar de nossos corações tudo que nos afasta da graça de Deus, e vamos deixar que o Rei Jesus, o Cristo Rei possa reinar como verdadeira páscoa, vida em abundância.

Fonte: mensagens Padre Marcelo Rossi

Uma semana abençoada a você e sua família!

Paz e Bem!

Patricia Campos

Telefax: (31) 3463-2838 / Cel: (31) 9675-5477


*Seguro Garantia *Seguro de Vida *Plano de Saúde
*Responsabilidade Civil *Equipamentos *Automóvel

União poderá compensar Rio e Espírito Santo no pré-sal

Emenda a ser apresentada nesta segunda propõe destinar parte de recursos da União aos dois estados

BRASÍLIA - Autor da polêmica proposta que mudou a divisão de royalties entre Estados e municípios, o deputado Ibsen Pinheiro (PMDB-RS) quer negociar, com dinheiro da União, uma saída política para as perdas do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Veja também:

linkRio se mobiliza para garantir royalties

linkCom o pré-sal, Brasil vira o maior polo de exploração marítima de petróleo

Pelo acordo negociado no fim de semana, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) vai apresentar nesta segunda-feira, 15, uma emenda, elaborada por Ibsen, que propõe usar parte do dinheiro de royalties pagos ao cofre federal para compensar os dois Estados - juntos, Rio e Espírito Santo produzem 90% do petróleo brasileiro.

Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou, por 369 votos a favor e 72 contra, uma nova sistemática de divisão dos recursos obtidos com a compensação financeira devida pelas empresas que exploram petróleo e gás (royalty).

A regra preserva a parcela destinada à União, equivalente a 40% de todo o dinheiro levantado, e divide o restante de forma igualitária entre Estados e municípios, seguindo as regras dos fundos constitucionais (FPE e FPM).

A medida irritou os parlamentares do Rio e levou o governador Sérgio Cabral (PMDB) às lágrimas porque ela acaba com a diferenciação entre produtores e não produtores de petróleo, prejudicando diretamente o Rio e o Espírito Santo, que abocanham atualmente a maior parte dos recursos obtidos com a compensação por serem os maiores produtores de petróleo do País.

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá que vetar o mecanismo.

A nova emenda elaborada por Ibsen e encaminhada para Simon diz que a União "compensará, com recursos oriundos de sua parcela de royalties e participação especial", os Estados e municípios que sofrerem redução de suas receitas em virtude da nova lei.

"Os prejudicados que perderem vão ser compensados pela União até que a produção atinja níveis que garantam os atuais patamares de remuneração", disse Ibsen. A participação especial é uma espécie de "royalty extra" cobrada nos poços mais rentáveis que estão fora da área do pré-sal.

Irritação

Para o deputado, a proposta pode reduzir a irritação da bancada fluminense uma vez que garante a compensação das perdas alegadas e evitaria o veto do presidente Lula.

Cálculos feitos pelo deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) indicam que se a regra aprovada na semana passada fosse aplicada em 2009, o caixa do Rio teria sofrido uma perda de quase R$ 5 bilhões.

Os municípios, por sua vez, veriam suas receitas reduzidas em R$ 2,5 bilhões. Pela nova emenda de Ibsen, essa diferença seria garantida pelo governo federal.

Senado

Os quatro projetos de lei que estabelecem o marco regulatório do pré-sal começam a ser analisados no Senado esta semana. O Palácio do Planalto espera que os senadores votem as propostas até o final de maio.

Se alterações forem feitas, os textos voltarão para a Câmara para apreciação final dos deputados.

O governo quer concluir a tramitação das propostas até final de junho, quando o Congresso deve interromper suas atividades por conta das eleições, garantindo assim condições para que o presidente Lula sancione as novas leis antes de deixar o Planalto.

Apesar da nova emenda de Ibsen mexer diretamente no dinheiro da União, o tema não foi discutindo com o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). "Só conversei com o senador Simon que disse que vai apresentar a emenda a nosso pedido", disse.

Fonte: Renato Andrade, de O Estado de S. Paulo

Att.

Patricia Campos

Telefax: (31) 3463-2838 / Cel: (31) 9675-5477


*Seguro Garantia *Seguro de Vida *Plano de Saúde
*Responsabilidade Civil *Equipamentos *Automóvel

Conheça a SAMP


A SAMP é uma operadora de Planos Saúde devidamente registrada na ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar, sob o nº 34.647-1 e que atende diretamente os seus associados através de unidades de atendimento próprias ou credenciadas (conforme exemplos acima).

Fundada em 1982 em São Paulo, iniciou suas atividades em Minas Gerais em 1994, ou seja, possui 25 anos de experiência no setor.

Atua fortemente nos estados do Ceará, Espírito Santo e Minas Gerais.

Tem como Objetivos Corporativos:

  • Tranqüilidade e segurança de seus clientes.
  • Garantia de Assistência Médico-Hospitalar ao associado, com excelência no atendimento.
  • Respeito aos compromissos assumidos;
  • Estilo gerencial empreendedor;
  • Saúde suplementar com qualidade de vida;
  • Transparência e ética nas relações: alianças estratégicas;
  • Resultados com participação e responsabilidade social;
  • Ambiente de trabalho solidário e harmonioso;
  • Valorização e integração dos talentos humanos.

Os planos ofertados pela SAMP são compostos por três segmentações básicas, conforme a determinação da Lei 9.656/98. Estas segmentações prevêem as coberturas exigidas[1] para cada tipo de plano contratado:

Segmentação Ambulatorial:

  • Consultas em todas as especialidades;
  • Exames de apoio diagnóstico;
  • Fisioterapia;
  • Pequenas cirurgias realizadas em ambulatório;
  • Demais procedimentos ambulatoriais que não necessitem de internação para sua conclusão.

    Segmentação Hospitalar:

  • Internações hospitalares para tratamento clínico;
  • Internações hospitalares para tratamento cirúrgico;
  • Despesas com honorários médicos, exames complementares, alimentação e medicamentos necessários durante todo o período de internação;
  • Despesas com acompanhante se o paciente for menor de 18 anos e também maiores de 60 anos.

    Segmentação Obstétrica:

  • Pré-natal;
  • Parto;
  • CTI Neo-natal;
  • Cobertura ao recém-nascido durante os primeiros 30 dias de vida.

    OBS: Não há limites de utilização de procedimentos ambulatoriais nem de dias para internações.

    Os modelos de contratação disponibilizados pela SAMP são os Planos Pré-pagos.
  • Os planos pré-pagos também têm um funcionamento relativamente simples.

    A empresa contrata uma operadora de planos de saúde para prestar assistência médica aos seus beneficiários em troca de mensalidades pré-fixadas.

    Neste caso, todos os riscos da assistência médica são por conta da operadora.

  • Os planos co-participativos fazem parte dos chamados “Planos Inteligentes”. Nestes casos, a operadora assume a maior parte da assistência em troca de um pré-pagamento e repassa outra parte, menor, do custo assistencial para a empresa. Esta outra parte se chama Co-Participação ou Fator Moderador.

    Como o próprio nome indica, a Co-participação ou Fator Moderador inibe os eventuais desperdícios que normalmente ocorrem nos planos onde ele não existe. Como conseqüência, os custos finais são menores, quando comparados aos planos pré-pagos.

    [1] As coberturas mínimas aqui apresentadas são a título de exemplo.

    Fonte: site SAMP

    Estamos à disposição para melhor apresentar a SAMP dentro de suas reais necessidades: pessoais, familiares ou empresariais.

    Att.

    Patricia Campos

    Telefax: (31) 3463-2838 / Cel: (31) 9675-5477


    *Seguro Garantia *Seguro de Vida *Plano de Saúde
    *Responsabilidade Civil *Equipamentos *Automóvel

  • Conheça o novo CONSÓRCIO DE PESADOS

    O Porto Seguro Consórcio encontrou no mercado uma nova oportunidade de negócio: o C onsórcio de Máquinas e Veículos Pesados. O segme...