Postagens

Mostrando postagens de Novembro 28, 2012

Análise: O principal é calcular quanto se quer receber da previdência privada

Importante opção de investimento, a previdência privada deve ser considerada para complementar a renda da aposentadoria que os contribuintes receberão do governo.
É importante considerá-la como uma das opções para investimento devido a duas razões. Primeiramente, a expectativa de vida vem aumentando ano a ano e, portanto, torna-se necessário pensar num "longo prazo" mais extenso do que estávamos acostumados a considerar.
O aumento de expectativa de vida significa maiores despesas no futuro, em especial às relacionadas com a saúde.
Além disso, a Previdência (pública) já enfrenta hoje problemas de sustentabilidade econômica. Ou seja, se a tendência é um aumento de idosos na população brasileira, o ideal seria que estes não contassem muito com um rendimento interessante no futuro vindo da aposentadoria governamental.
Mas quando começar a previdência privada? A resposta é: o mais cedo possível. É um investimento de longo prazo e, portanto, quanto maior for o prazo de cont…

Jovens podem arriscar mais nos planos

Além de fazer uma reserva para a velhice, os planos de previdência privada são também utilizados para fazer uma poupança de longo prazo para bancar a universidade ou o início da vida adulta de jovens e crianças.

A principal vantagem é colocar o dinheiro para render sem o desconto periódico do Imposto de Renda, diferentemente do que ocorre nos fundos de investimento.

No futuro, se o jovem retirar o benefício até o limite de isenção (hoje em R$ 23.499,15 anuais), pode nem pagar IR.

Outra vantagem é que o jovem pode arriscar mais do que alguém perto da aposentadoria, aplicando uma parte maior de sua reserva em ações ou em planos com maior fatia em renda variável. Se a Bolsa cair ele pode esperar um momento melhor para retirar o benefício.

A participação de menores de 18 anos em planos de previdência corresponde a 7,5% do total. Na média, a idade dos participantes de planos de previdência complementar aberta é de 35 anos.

"Observamos que a procura pelos planos tem começado cedo…

Felicidade

Imagem
É Fazer de cada pôr do sol, uma nova Esperança.
De cada nova luta, uma lição de vida.
Amar as pessoas incondicionalmente ( Ágape ).
Encontrar num sorriso de criança, o segredo de um mundo ideal para se viver.
Estar sempre desfrutando cada minuto de vida e ajudar sempre os que mais precisam de apoio e carinho... 
Estes são uns dos poucos segredos para desfrutar da verdadeira "Felicidade".



Fonte: Padre Marcelo Rossi

Abraço fraterno.
Patricia Campos
Telefax: (31) 3463-2838 / Cel: (31) 9675-5477 E-mail: seguros@patriciacamposcorretora.com.br Site: www.patriciacamposcorretora.com.br

Índice medirá grau de Confiança e as Expectativas Empresariais no mercado segurador brasileiro

A Rating de Seguros e a Revista Cobertura reservaram para a cerimônia de entrega da 15ª edição do Prêmio Cobertura, realizada nesta segunda-feira, 26 de novembro em São Paulo, o lançamento do Índice de Confiança e Expectativas das Seguradoras (ICES).
O cálculo mensal do ICES será realizado todos os meses, a partir de entrevistas com todas as seguradoras que atuam no mercado, que responderão a perguntas muito simples, em geral de caráter institucional, de múltipla escolha e qualitativas, nas quais as empresas avaliarão o que esperam que aconteça nos próximos meses, com relação a algumas variáveis relevantes do setor, como faturamento e rentabilidade geral.
“As mesmas perguntas serão repetidas mensalmente e as respostas não serão divulgadas individualmente. Após cálculos estatísticos, o valor final do índice irá variar entre 0 a 200. O número 100 indica que a expectativa atual é que a situação futura permaneça a mesma. Quanto maior esse valor, mais otimista está o segmento com…

Com queda dos juros no país, empresas reajustam seguros em até 10%, o dobro da inflação

A redução dos juros no país está provocando uma mudança estrutural no setor de seguros e afetando o bolso do consumidor brasileiro. A queda de 5,25 pontos percentuais na taxa básica Selic, em pouco mais de um ano, derrubou o ganho financeiro das companhias, decorrente das aplicações em títulos públicos, que responde hoje ainda por mais da metade dos seus lucros. Para compensar a diminuição na receita, as empresas de seguros elevaram preços e buscaram mais eficiência.
Em todo o Brasil, o preço dos seguros subiram de 2% a 5% neste ano, de acordo com o Sindicato dos Corretores de Seguros de São Paulo (Sincor-SP), que monitora o mercado nacional. No ramo de automóveis, que responde por um terço dos seguros vendidos no país (excluindo planos previdenciários), a alta média ficou entre 7% e 10%, de acordo com a entidade. Ou seja, até o dobro da inflação acumulada este ano, de 4,38%, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE.
— No segmento de veículos tivemos …

Cuidado com os seguros piratas

Orientação ao consumidor é antes de contratar um seguro consultar o site da Susep para não ser enganado
Uma modalidade ilegal de seguro que se espalha cada vez mais pelo mercado, principalmente relacionados a veículos, é o de apólices não regularizadas, chamadas piratas.
Associações, cooperativas e até mesmo clubes sem autorização para comercialização desse produto se aproveitam da proximidade com o consumidor para vender apólices fajutas, por valores abaixo dos que o mercado.
O preço baixo é a principal isca para atrair o consumidor, que, para não ser enganado, antes de contratar um seguro deve consultar o site da Superintendência Nacional de Seguros Privados (Susep).
A página contém os nomes de todas as seguradoras e corretores regularizados e autorizados a vender os serviços.
Ilegalidade
De acordo com a Susep, são mais de 600 associações ou cooperativas em 18 Estados que, além de prejudicar o consumidor comercializando os seguros piratas, cometem uma série de crimes, como lavag…