Postagens

Mostrando postagens de 2013

Feliz Natal!!!!

Imagem
O Natal é o momento de renovarmos os melhores sentimentos (amor, carinho, afeto, ternura e solidariedade).  Natal é a festa cristã que nos emociona todos os anos, pois nos faz lembrar e sentir a paz de Cristo.
Vamos comemorar o Natal, resgatando seu real significado: amor ao próximo e fé em Jesus Cristo. Que neste Natal possamos estar com as pessoas queridas, vivendo momentos de paz, amor e muita alegria. Natal, o dia mais especial do ano, pois remete ao nascimento daquele que deu sua vida para salvar os homens. Vamos comemorar esta data, vivenciando os ensinamentos de Cristo.
O Natal é o momento de lembrarmos do nascimento de Jesus Cristo e agradecermos a Deus por tudo que conquistamos em nossas vidas. O verdadeiro significado do Natal não está nos presentes materiais que damos ou ganhamos, mas sim no amor verdadeiro que podemos compartilhar com o próximo. Que o verdadeiro espírito do Natal possa, em breve, se espalhar por todos os dias do ano. Quando isto acontecer, teremos uma socie…

O Seguro Cobre?

Imagem
Seguro de riscos de engenharia tem por objetivo garantir ao construtor a indenização dos prejuízos causados por acidentes
Recentemente, o maior guindaste em operação no Brasil, com 114 metros de altura e capacidade de carga de até 1.500 toneladas, desabou sobre a inacabada Arena Corinthians no bairro de Itaquera, na cidade de São Paulo, destruindo parte da arquibancada leste e, infelizmente, matando dois operários. Este foi o terceiro acidente fatal envolvendo obras em estádios onde serão realizados jogos da Copa do Mundo. O primeiro foi no Estádio Nacional de Brasília, em junho de 2012, com a morte de um operário que caiu de cerca de 30 metros de altura. O outro foi na Arena da Amazônia, em Manaus, em março de 2013, quando outro operário morreu ao cair de cerca de cinco metros. Segundo dados do MPAS, são registrados, anualmente, mais de 50 mil acidentes de trabalho no setor de construção civil no Brasil o que coloca o país em situação desconfortável na comparação internacional. O Itaq…

Executivos querem cobertura maior de seguro por responsabilidade civil

Imagem
De olho no crescente rigor da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e de outros órgãos reguladores no julgamento de processos, executivos e grandes empresas no Brasil querem a extensão do uso do seguro por responsabilidade civil de administradores.

No âmbito do mercado de capitais, o seguro atualmente cobre despesas com termos de compromisso na CVM, acordo para encerrar processos quando não há assunção de culpa por parte do acusado.
A expectativa de empresas, executivos e, claro, das seguradoras, é de que o uso do instrumento seja estendido para cobrir também pagamento de multas.
“Existe um entendimento no mercado que este é um tipo de cobertura que deveria ser dado”, disse a gerente de Linhas Financeiras da Zurich Seguros, Ana Albuquerque, mencionando que isso já é praticado em outros países.
Pelas empresas, o recurso pode ser um instrumento para atrair e reter executivos, que temem ter o patrimônio pessoal em risco quando tomam decisões importantes em suas posições e que podem posterior…

Funcionário satisfeito rentabilidade garantida

Imagem
Recentemente o site do Valor Econômico trouxe a pauta questões que envolvem a satisfação dos funcionários com os benefícios ofertados pelas empresas. Pensando em expandir o tema o CQCS fez uma entrevista exclusiva com a chefe da área de Benefícios a funcionários da MetLife, Maria Morris, que destacou os principais pontos caracterizadores do processo.

CQCS – Conforme publicado no Valor Econômico, no Brasil 60% dos empregados não estão satisfeitos com os benefícios que recebem de suas empresas. O que você acha que está faltando nessas empresas? Maria Morris – Muitas empresas oferecem bons benefícios, mas não os comunicam de maneira eficiente. O funcionário deve ter conhecimento de detalhes do benefício que recebe, qual a cobertura e os custos reais caso fossem adquiridos fora do ambiente corporativo.
CQCS – Você comentou que as companhias precisam investir em ferramentas de educação para esclarecer seus funcionários acerca dos planos de benefícios oferecidos. Como isso poderia ser feito…

Consumidor ainda desconhece real valor do seguro de vida

Imagem
Somente 5% dos brasileiros compram seguros de vida voluntariamente e 7% estão cobertos por meio do pacote de benefícios das empresas em que trabalham. “O porcentual está bem abaixo da saúde suplementar, que alcança mais de 40% da população”, aponta o especialista em vendas, José Franco Pagano.

Apesar da baixa penetração do seguro de vida, Franco defende que o mercado de seguros está pronto para crescer, de modo a atender as demandas de mais de 50 milhões de brasileiros que compõem a nova classe C, desde que supere problemas de comunicação com os clientes.
“Temos ótimas seguradoras, excelentes produtos, um conjunto de coberturas eficientes e preços equilibrados. A dificuldade está na diversidade do discurso dos canais de distribuição, incluindo corretores, bancos, lojas de varejo, operadores de telemarketing e, agora, a web, que não conseguem a confiança dos consumidores sobre os reais benefícios do produto”, enfatiza Franco.
Nesse contexto, ele reforça que as pessoas nem sempre sabem …

Deus te responde

Imagem
Você diz: “Isso é impossível” 
Deus diz: “Tudo é possível” 
Você diz: “Eu já estou cansado”
 Deus diz: “Eu te darei o repouso” 
Você diz: “Não tenho condições” Deus diz: “Minha graça é suficiente”
Você diz: “Não vou conseguir” Deus diz: “Eu suprirei todas as suas necessidades”
Você diz: “Eu me sinto só e desamparado” Deus diz: “Eu nunca te deixarei nem desampararei”
Abraço fraterno.
Patricia Campos
Tel: (31) 3463-2838 / 9675-5477 E-mail: seguros@patriciacamposcorretora.com.br
Site: www.patriciacamposcorretora.com.br Blog: www.patriciacamposcorretora.blogspot.com

Seguro ‘avulso’ vale só para quem não tem o completo

Imagem
Além das apólices tradicionais de seguro como de vida e de saúde, há no mercado produtos mais restritos e de menor valor para os consumidores. São seguros válidos apenas para situações específicas, como viagens, acidentes pessoais ou funeral.

Essas apólices avulsas são indicadas a quem não possui seguros completos. E, mesmo assim, nem sempre são vantajosas, pois a cobertura pode ser menor do que a imaginada na hora da compra.
“Avaliar se um seguro avulso é a melhor opção pode ser a diferença entre passar por um contratempo sem estresse e ter uma despesa inesperada”, diz Felipe Meirelles Ferreira, superintendente seguros do Itaú.
Um seguro funerário, que pode ser contratado hoje por R$ 2,50 por mês, só é necessário a alguém que não tenha seguro de vida, ou que tenha um produto que não contemple despesas com traslado e enterro. “A maioria dos seguros de vida já oferece essa cobertura e o segurado não sabe”, diz José Carlos Anastácio Junior, sócio da corretora de seguros Brasil Insurance.
Os…

Projeto facilita ajuizamento de ações relativas ao Dpvat

Imagem
O deputado Carlos Bezerra (PMDB/MT) apresentou projeto de lei que define o foro para o ajuizamento das ações relativas às indenizações do seguro Dpvat. Segundo a proposta, na cobrança de indenização decorrente desse seguro, o autor poderá, a seu critério, escolher entre os seguintes foros para o ajuizamento da respectiva ação: o do local do acidente, do seu domicílio ou do domicílio da Seguradora Líder.
O parlamentar alega que a proposição pretende facilitar àqueles que fazem jus às indenizações, como vítimas dos acidentes no trânsito ou seus beneficiários, o recebimento nos casos em que esse pagamento implicar processos na esfera judicial.
Ele lembra ainda que esse seguro foi instituído pela Lei 6.194/74, e é regido pela teoria do risco, obrigando o pagamento das indenizações independentemente da existência de culpa. “Trata-se de um seguro com finalidade eminentemente social, garantindo às vítimas de trânsito indenizações para os casos de morte e invalidez permanente, bem como o reembo…

Segurado deve ficar atento a cláusula de exclusão de apólice

Imagem
Ao contratar um seguro, é preciso estar atento não apenas às coberturas contratadas, mas também às chamadas cláusulas de exclusão. São tópicos que se referem a situações e procedimentos adotados pelo consumidor que podem levar ao não pagamento do benefício.

No seguro de vida, por exemplo, as mais comuns são a omissão de doenças preexistentes e o suicídio nos dois primeiros anos de contrato.
No primeiro caso, as enfermidades que precisam ser informadas podem variar conforme a seguradora.
INCIDENTES
Ainda no seguro de vida, assim como na apólice de cobertura de funeral e de acidentes pessoais, também corre o risco de perder o benefício a família que tomar providências em caso de morte do segurado sem informar primeiro a seguradora.
“Qualquer incidente que possa estar coberto por uma apólice é considerado um sinistro e precisa, antes de qualquer medida do segurado ou da família, ser informado à empresa”, diz Walter Viegas, superintendente de produtos de seguros e capitalização do Santander.
“N…

Os perigos do seguro pirata relatados por um “segurado”

Imagem
Imagine ficar 18 meses sem o seu instrumento de trabalho e, consequentemente, sem faturar. Pois, é o que está acontecendo com o transportador José Vilmar Rosa, de São José dos Pinhais (PR), que optou por contratar os serviços da Associação de Proteção Aos Transportadores de Cargas (Assotrans). “O seguro direto com uma seguradora era muito caro”, alegou o empresário, em denúncia feita ao CQCS.

Publicada na seção “Debate Seguro”, sob o título “Segurado” de seguro pirata não recebe indenização e pede ajuda ao CQCS” (leiam no link: http://www.cqcs.com.br/debate/142602/#comentarios), a denúncia gerou uma das maiores polêmicas já registradas no CQCS.
Segundo a mensagem, o “segurado” pagou as mensalidades rigorosamente em dia e acreditava que estava seguro. Mas, roubaram um de seus veículos, recuperado posteriormente bastante danificado.
A delegacia liberou a carreta para o transportador, como fiel depositário, que o levou para a oficina e, em seguida, para fazer o laudo técnico. A associação o…

Conheça as vantagens do Seguro Judicial

Imagem
A lentidão da Justiça brasileira pode significar gastos e incertezas para a maioria das empresas no País, mas para as seguradoras isso pode representar um mercado em potencial, podendo se transformar, até, numa aposta de expansão do mercado de seguro corporativo, é o que se espera para 2014, tudo por contato do Seguro Garantia Judicial.

O Seguro Garantia Judicial substitui formas tradicionais de garantia exigidas pelos juízes para assegurar que os valores devidos sejam pagos ao fim dos processos judiciais, como a fiança bancária.
O mercado já avaliou que o potencial de crescimento dessa espécie de seguro é grande, porém, dois fatores impedem que as contratações disparem: O desconhecimento de juízes e advogados sobre a apólice, bem como sobre o seu funcionamento, e o fato de a Lei de Execuções Fiscais, que regulamenta a cobrança de dívidas públicas, não mencionar especificamente esse seguro como forma de garantia.
O seguro pode substituir a fiança bancária, um tipo de empré…