Postagens

Mostrando postagens de Agosto 24, 2010

Susep estuda mudanças no ramo garantia

A Susep vai alterar os termos da Circular 232/03, a qual lista as informações mínimas que deverão estar contidas na apólice, nas condições gerais e nas condições especiais para os contratos de seguro-garantia. As mudanças serão aprovadas após consulta ao setor privado, através de audiência pública realizada pela autarquia, com base em minuta de circular que será disponibilizada no site da Susep nos próximos dias.
As sugestões poderão ser enviadas até o dia 30 de novembro de 2010, por meio de mensagem eletrônica dirigida ao endereço coleg.rj@susep.gov.br.A Circular 232/03 estabelece, entre outros pontos, que a apólice do seguro garantia deve indicar os riscos assumidos, a vigência, o limite máximo da garantia ou importância segurada, o valor do prêmio, o nome ou a razão social do segurado e do tomador.
Além disso, as seguradoras devem apresentar o seu critério tarifário à Susep, por meio de Nota Técnica Atuarial, contendo os seguintes elementos mínimos: coberturas do seguro; …

6º CECSEG: Indústria tem dificuldade de colocar riscos

Ainda em seu discurso, Robert Bittar, presidente da Fenacor (Federação Nacional dos Corretores de Seguros), Escola Nacional de Seguros e Sincor-PR, lembrou a tentativa do governo de criar uma seguradora estatal para cobertura de grandes riscos. "Há um discurso equivocado de que nosso mercado não tem capacidade para suportar grandes riscos. E recentemente, recebi uma reivindicação do setor industrial, explicando que muitas empresas não estão conseguindo colocação de certos riscos, como o que envolve a atividade química. Precisamos trabalhar para evitar situações como essa, que acabam endossando o discurso do governo", alertou.
Fonte: Funenseg
Comentário Patricia Campos:
Na semana passada, de 18 a 21, participei do 6º CECSEG que aconteceu no Hotel Fazenda Tauá. Robert Bittar participou da Cerimônia de Abertura e em seu discurso, conforme matéria acima, confirmou a matéria postada na última semana onde a Marsh afirmou sobre a capacidade de emissão das seguradoras e como ela…

Saiba quais são os seguros indicados para profissionais liberais

Alguns médicos, advogados, dentistas e outros profissionais atuam como liberais. Como vantagem, eles têm um horário mais flexível e ganhos algumas vezes superiores. Entretanto, se não contribuírem para a Previdência Social, podem ficar desamparados caso sofram algum acidente que os impeça de trabalhar. Por isso, é indicado que façam um seguro.
O presidente do Sincor-SP (Sindicato dos Corretores de Seguros do Estado de São Paulo), Mário Sérgio de Almeida, explica que existem produtos específicos para os profissionais liberais. O primeiro é o DIT (Diária de Incapacidade Temporária), direcionado ao profissional impossibilitado de exercer as suas atividades.
“O que mais convém aos profissionais liberais é um seguro de vida e de acidente de trabalho. No caso de acidente, a pessoa está vulnerável porque não poderá trabalhar. Esse seguro também é indicado aos empreendedores”, diz Almeida.
Já o segundo seguro indicado é o de Responsabilidade Civil, que cobre danos a terceiros no ca…

Entidade propõe plano de saúde de acordo com perfil

A Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge) vai propor a criação de planos de saúde de acordo com o perfil do consumidor. A ideia é oferecer incentivos - como desconto ou uma espécie de premiação - àquelas pessoas que têm hábitos saudáveis.
O tema será levado à câmara técnica da Agência Nacional de Saúde (ANS), informou hoje o presidente da Abramge, Arlindo de Almeida, no encerramento do 15º congresso da entidade, realizado no Rio de Janeiro.
"Eu sou favorável a oferecer vantagens aos pacientes que, por exemplo, não fumem", defendeu. "Há o caso dos seguros de automóveis, em que as mulheres têm um desconto porque, comprovadamente, são mais prudentes", explicou Almeida.
Para ele, esse tipo de iniciativa pode funcionar como um incentivo para que as pessoas tenham comportamentos mais saudáveis. "Ajuda as pessoas a pararem de fumar, ou deixarem de ingerir bebidas alcoólicas". A proposta ainda está sendo formulada pela Abramge. Almeida acred…

Seguro-fiança ganha espaço do fiador no mercado de locação

Garantia já responde por quase 30% dos contratos firmados em SP no mercado residencial Especialistas do setor preveem a ampliação dessa participação nas grandes cidades e a redução no preçoTATIANA RESENDEDE SÃO PAULO O seguro-fiança ganhou participação nos contratos de locação residencial nas grandes cidades, tirando espaço do tradicional fiador e do depósito de caução. Na cidade de São Paulo, esse tipo de garantia passou de uma fatia de apenas 9,4% em junho de 2005, primeiro ano da pesquisa no formato atual, para 27,4% no mesmo mês deste ano, segundo o Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis). De olho nessa expansão, as seguradoras investem no aperfeiçoamento do produto, ampliando a cobertura além da inadimplência com aluguel, incluindo também pintura, água, luz, gás e danos ao imóvel, entre outros. "A participação tende a crescer. Em dez anos, acredito que seja a garantia predominante nas grandes cidades", afirma José Augusto Viana Neto, president…

Não desista nunca, Deus está contigo

"Sempre há muitos desafios, surpresas, tristezas e alegrias... A vida é feita assim, às vezes nos deparamos com situações que nos afligem, nos fazem sentir medo e até mesmo chorar, mas saiba que a cada momento da vida, cada lágrima caída, cada sorriso dado, está tudo anotado no diário de Deus.E pode ter certeza que nem um segundo Ele esqueceu de anotar, anotou suas lutas, seus choros, mas com um detalhe, Ele não esqueceu de anotar o dia de sua vitória!Não desista de teus projetos e sonhos porque antes mesmo deles serem projetados por você, já foi projetado e anotado por DEUS!"
Paz e bem!
Patricia Campos

Telefax: (31) 3463-2838 / Cel: (31) 9675-5477 E-mail: seguros@patriciacamposcorretora.com.br

Site: www.patriciacamposcorretora.com.br

*Seguro Garantia *Seguro de Vida *Plano de Saúde *Responsabilidade Civil *Equipamentos *Automóvel

Número de investidores deverá ser de 5 milhões em cinco anos

Os trabalhos do 6º Congresso Estadual dos Corretores de Seguros de Minas Gerais continuaram no dia 19 de agosto, com a palestra do professor da XP Educação e agente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Lucas Roque, intitulada "Desmistificando a Bolsa de Valores".
Roque lembrou que mais de 50% da população dos Estados Unidos investem em bolsas, o que representa 60% da poupança americana. "Essa cultura passa de pai para filho", contou, acrescentando que no Brasil, o número da população que investe não chega a 1%.
O especialista atribuiu essa baixa adesão a questões culturais, educacionais - já que jovens americanos recebem educação financeira nas escolas - e, principalmente, à taxa de juros. "O Brasil tem uma taxa de juros de 11%, uma das maiores do mundo".
"O que estimula a população dos Estados Unidos a investir é a possibilidade de um ganho maior, já que a função da empresa é lucrar mais do que a taxa de juros praticada pelo mercado, …

EXIM Brasil terá até US$ 100 bi, mas Fazenda precisa concordar com seguradora

Há uma pedra no caminho para o lançamento do EXIM Brasil, o banco de fomento à exportação, que terá capacidade de emprestar até US$ 100 bilhões, alavancagem equivalente a dez vezes o seu capital inicial. Previsto para outubro, o início das operações do EXIM Brasil - que será uma subsidiária integral do BNDES - ainda depende de uma solução política: o Ministério da Fazenda precisa concordar com a criação de uma seguradora estatal voltada apenas às exportações. Esse processo foi atropelado pela decisão do ministro Guido Mantega de criar em julho uma megaestatal de seguros, que iria atuar em diversas áreas, de projetos de infraestrutura a exportações.
A ideia original era que essa nova seguradora seria voltada apenas para o comércio externo, sendo instituída por uma medida provisória (MP). Mas, ao incluir outros setores no texto, a Fazenda tornou-se alvo de várias críticas das seguradoras privadas e teve de recuar, admitindo enviar o tema na forma de projeto de lei.
- A falta…

Copa 2014 trará oportunidades de negócios para as empresas do Rio de Janeiro

Até lá o país terá que organizar os transportes, garantir a segurança dos visitantes, investir em tecnologia de ponta, treinar mão de obra, aumentar a velocidade e a capacidade da internet, entre outras medidas.
Para dar um panorâmica dos investimentos e necessidades operacionais, visando a realização da Copa 2014 no Brasil, a ABRH-RJ promoveu o Seminário Copa 2014 – Oportunidades, Desafios e Ameaças em Tempo de Copa do Mundo (http://www.projeto2014.com/).
O evento contou com o patrocínio e apoio de várias empresas, organizações e federações, envolvidas na agenda de compromissos da Copa 2014 no Brasil e reuniu especialistas renomados de diversos setores. Na organização do Seminário, um grande conhecido do mercado de seguros, Izaque Farizel, ex-diretor da Dix, membro da diretoria da ABRH-RJ.
A Secretária de Estado de Turismo, Esportes e Lazer, Márcia Lins, disse que o Estado está recebendo recursos, que irão provocar o seu crescimento econômico, além de projetá-lo na comuni…