Postagens

Mostrando postagens de Setembro 21, 2010

Seguro Garantia por Patricia Campos

No dia 17 de agosto publiquei a matéria: “Seguro Garantia - Perguntas mais frequentes” onde há uma série de perguntas e repostas referentes à contratação do Seguro Garantia.Hoje volto com este tema devido aos comentários que fiz e que é sempre importante relembrá-los porque trata de informações importantes, de pouco conhecimento das partes envolvidas e que afetam a cobertura de uma Apólice emitida ou dificultam a necessidade de emissão de novas apólices.Cabe ressaltar que, após a emissão de uma Apólice de Seguro Garantia, o Contrato que será segurado, independente do tipo de contratação, deixa de ser entre duas (contratante e contratado) e passa a ser entre três partes: Segurado (Contratante) + Tomador (contratado) + Seguradora (garantidora).Portanto, qualquer aditivo realizado em um Contrato que possui uma Apólice de Garantia emitida deverá ser enviado à Seguradora e a mesma concordar com o mesmo emitindo um Endosso à Apólice vigente.O não envio de qualquer aditivo torna nula a Apóli…

Acesso a dados de apólices no Ramo Garantia

A Circular 326/06 regulamenta o novo sistema de envio para registro na SUSEP dos dados das apólices e endossos emitidos diretamente pelas seguradoras no Ramo Garantia. O novo sistema está disponível no site da Susep (www.susep.gov.br) e permite que as seguradoras façam a transmissão dos registros de apólices e endossos no prazo máximo de dois dias úteis, contados a partir da data de emissão. Esses dados devem estar disponíveis para consulta das seguradoras, consumidores e tomadores no prazo de sete dias úteis após a data de emissão.Assim, as seguradoras ficam obrigadas ao registro correto e ao envio das apólices e endossos, na Susep.As companhias deverão enviar os arquivos, que seguem um layout padrão estabelecido pela Comissão de Tecnologia da Informação da Fenaseg e sofre validações em uma aplicação desenvolvida pelo Centro de Informática da autarquia, o que garante consistência dos dados.As companhias deverão enviar os arquivos diariamente, utilizando a sua senha. A Susep…

Previdência privada no Brasil alcança R$ 200 bilhões em ativos

Imagem
O mercado de previdência privada aberta brasileiro alcançou R$ 200 bilhões em ativos e virou modelo para países da América Latina. No Brasil, a previdência privada já atraiu 11,5 milhões de pessoas. A perspectiva para os próximos cinco anos é positiva, devido à entrada das classes de menor renda no cenário.
No caso dos países vizinhos, a Argentina, por exemplo, planeja criar um sistema semelhante ao nacional, através da venda de planos do tipo PGBL e VGBL. Com este objetivo, os técnicos do país vizinho procuraram a Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida). Esta semana, representantes da entidade foram à capital argentina, Buenos Aires, apresentar o modelo brasileiro.
Histórico
Em 1994, o governo de Carlos Menem criou um sistema de previdência público e um privado, baseado em fundos de pensão. Em outubro de 2008, em meio à crise financeira mu…

Informação é fundamental para diminuir conflitos na contratação do seguro

Para o advogado Carlos Josias Menna de Oliveira, especialista no setor de seguros, a informação passou a ser a grande aliada entre seguradores e segurados. "A Lei determina que o segurado receba todas as informações sobre o que está comprando, o que minimiza conflitos", esclareceu o responsável pelo painel "O contrato de seguros, na ótica do segurador e do segurado", apresentando no workshop promovido ontem, dia 15 de setembro, pelo Sindseg-RS.
De acordo com ele, o setor securitário foi o que mais se adaptou às regras do Código de Defesa do Consumidor, desde sua entrada em vigor, em 1990. Antes do código, havia várias interpretações para o contrato do seguro, sob a ótica do segurador, do segurado e do judiciário. O contrato era redigido pelo segurador, sob as regras da Susep e do Instituto de Resseguros do Brasil (IRB). O mercado operava neste formato desde 1966, com regras pré-estabelecidas, cujo segurado assinava sempre por adesão. Porém as divergência…

Comentário Patricia Campos

Matéria: Informação é fundamental para diminuir conflitos na contratação do seguro
"A Lei determina que o segurado receba todas as informações sobre o que está comprando, o que minimiza conflitos"Refletindo sobre esta fala do advogado Carlos Josias Menna de Oliveira constato que no mercado há ações que vão contra as leis.Por que?Ora, hoje se comercializa seguros pela internet, nas grandes magazines, pelos gerentes dos bancos, cartões de crédito onde não há a presença do Corretor de Seguros habilitado pela Susep e muito menos a explicação exata do que o Segurado está adquirindo.Os Segurados pensam que estão seguros e, na hora em que necessitam da indenização, ou seja, no sinistro, verificam que pagaram e que não terão cobertura ou a mesma será aquém do esperado.Tenho duas situações que comprovam o que eu afirmo acima:1º)Meu cunhado pagou por anos, sem me falar, um seguro pelo cartão de crédito. Adoeceu e veio todo contente me procurar pois queria receber os dias parados (nesta…

Brasileiro se preocupa mais em ter plano de saúde do que previdência privada

Imagem
Cerca de 31% das famílias brasileiras pagam por assistência médica, com a seguinte estratificação social: nas classes A/B, 59% possuem plano de saúde, 31% na classe C e 14% nas classes D/E.
Quando se trata de previdência privada, no entanto, além do baixo alcance em âmbito nacional (4%), verifica-se que o produto atinge 10% das classes A/B, 4% da classe C e apenas 1% das classes D/E.
O estudo foi apresentado pela Kantar Worldpanel, consultoria internacional especializada em mapear tendências de consumo, no V Fórum Nacional de Vida e Previdência Privada, em painel realizado ontem (15/09) pela manhã, em São Paulo.
De acordo com o presidente da Fenaprevi, Marco Antonio Rossi, o levantamento comprova que há um grande espaço para crescimento da previdência privada no país. “Temos uma grande oportunidade de expandir a presença nas famílias de maior renda e também entre os domicílios da classe C”, analisa Rossi.
Para o executivo, a mudança no padrão da pirâmide etária brasileira é o…