Postagens

Mostrando postagens de Agosto 11, 2013

ANS pretende incluir 80 novas coberturas em planos de saúde

Imagem
Segundo especialista, a inclusão de novos procedimentos e medicamentos pode ter efeito sobre os custos das operadoras
Michele Tantussi/Bloomberg
Hospital: a nova medidas da ANS inclue nos planos procedimentos médicos e odontológicos, medicamentos, terapias e exames, além da atualização de 30 procedimentos já cobertos Rio de Janeiro - A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vai analisar todas as contribuições recebidas durante a Consulta Pública 53, encerrada no último dia 6, visando à inclusão, pelos planos de saude, de cerca de 80 coberturas.
Elas incluem procedimentos médicos e odontológicos, medicamentos, terapias e exames, além da atualização de mais de 30 procedimentos já cobertos. A proposta destaca a inclusão de 36 medicamentos para tratamento oral domiciliar de câncer, a introdução de uma nova técnica de radioterapia e cerca de 30 cirurgias por vídeo.
Após reunião do grupo técnico da agência, previsto para o final de setembro deste ano, o novo rol deve…

Seguro-fiança é garantia mais ampla em relação ao depósito

Imagem
Cada vez mais pessoas optam pelo seguro-fiança como meio de garantir os contratos de locação, residenciais e comerciais. No primeiro semestre, por exemplo, essas apólices movimentaram 22% a mais em prêmios, em comparação com igual período de 2012, conforme dados da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados). De acordo com a Porto Seguro, que atua nesse mercado com o Porto Seguro Aluguel, o crescimento reflete a amplitude da garantia oferecida pelo seguro frente a outras modalidades, como a caução (depósito).

O diretor do Porto Seguro Aluguel, Edson Frizzarim, explica que, “na caução, o valor dos aluguéis pagos adiantados ao proprietário do imóvel – normalmente, relativo a dois ou três meses – pode não ser suficiente para cobrir todas as despesas, em uma eventual inadimplência ou em caso de danos ao imóvel”. E acrescenta que “o seguro-fiança, por sua vez, pode ser contratado por um valor que abranja esses e outros custos”.
Além da garantia básica para os aluguéis devidos pelo inquilino…

Seguro de vida. Cuidado com as coberturas para não ficar desprotegido

Imagem
A par do preço deve também analisar as coberturas do produto, principalmente nos casos de invalidez.

O seguro de vida é obrigatório para quem já contraiu ou está a pensar contrair um crédito à habitação. Este produto tem como grande missão protegê-lo e à sua familiar no caso de o pior acontecer. Mas a escolha do seguro não é assim tão simples e não deve ter em conta apenas o valor. A par do preço, deve ter também cuidados redobrados quando analisa as coberturas, principalmente nos casos de invalidez.
A Associação de Defesa do Consumidor (DECO) fez uma ronda pelas ofertas existentes no mercado e chegou à conclusão de que, apesar de a principal cobertura neste tipo de seguros ser a de morte – através da qual a seguradora se compromete a entregar ao banco o valor em dívida por falecimento da pessoa segura devido a acidente ou doença –, é possível contratar, a título complementar, coberturas de invalidez. Neste caso existem duas possibilidades principais: invalidez total e permanente (ITP),…

5 dicas para você economizar com seguro

Para quem vive nas grandes cidades, viver sem seguro é um risco. Qualquer uma de nós está sujeita a ser assaltada. Então, para o seu prejuízo ser menor você deve contratar um seguro. E hoje em dia tem para qualquer coisa, como bolsa, carro, casa e vida.
Dependendo da sua necessidade e do segmento, o seguro pode ser inevitável. O lado bom é que você vai estar assegurada e, o lado ruim, é que se não tiver paciência, pode fechar um negócio que não vale a pena. Listamos 5 dicas para você conseguir economizar nos seguros:
1 – Pesquise antes: Assim que tiver o interesse de fechar, pode ter certeza – vão chover propostas! Mas não adianta ir pelo mais barato. Pesquise, leia todo o contrato e esteja ciente de toda a cobertura. Só feche depois que tiver certeza de que está fazendo um bom negócio.
2 – Tire dúvidas: Um bom corretor de seguros é aquele que tem todas as respostas na ponta da língua e, quando não tiver, fazer o possível para sanar suas dúvidas. Então, não tenha vergonha e pergunte tudo…

Entenda a diferença entre Resseguro e Cosseguro

Nomes parecidos, mas com conceitos bem diferentes. Há quem confunda resseguro com o cosseguro. Segundo o especialista Lucas Villas Boas, o resseguro é garantido por resseguradoras, sendo aplicado quando o excede a capacidade de responsabilidade de uma seguradora. “Visto que estas instituições têm capacidade financeira maior e com isso conseguem respaldar grandes operações. Na maioria dos casos, esses riscos são bancados por vários resseguradoras em conjunto”.
“Já no cosseguro o excedente é repassado para outras seguradoras do mercado, sendo uma forma de pulverização de riscos - assumindo cada qual uma parte da responsabilidade no total segurado”, explica Villas Boas.
Segundo ele, o cosseguro é indicado também para riscos onde o ressegurador estrangeiro tenha dificuldade de entender a operação, ou a celeridade da emissão impede maiores esclarecimentos ao ressegurador. Este, por sua vez, vai seguir uma linha mais criteriosa na análise. “As resseguradoras locais são mais ágei…

Como funcionam as operações de resseguros?

Em operações que ultrapassam o limite técnico das seguradoras, torna-se necessária a contratação do resseguro, o seguro da seguradora para cobrir riscos que a companhia não pode ou não deseja garantir sozinha. A alternativa possibilita a pulverização do risco, preservando a estabilidade financeira da seguradora.
O contrato firmado entre o ressegurador e a seguradora pode ser feito para um cobrir um risco específico ou para todos os riscos em relação a um ramo de uma seguradora. Atualmente, a legislação brasileira prevê três tipos de ressegurador: local, admitido e eventual.
Ressegurador local: possui sede no Brasil, com capital e atuação nacionais. Ressegurador admitido: empresa estrangeira com estrutura operacional no Brasil. Ressegurador eventual: empresa estrangeira sem escritório de representação no Brasil.
Segundo informações da Susep, existem hoje 14 resseguradoras locais, 31 admitidas e 62 eventuais autorizadas a operar no país.
As operações de resseguro podem ser faculta…

Todos os dias é dia dos Pais

Imagem
Dia do pai trabalhador.

Dia do pai honesto.

Dia do pai feliz.

Dia do pai amoroso.

Dia do pai alegre.

Dia do pai lutador.

Dia do pai que sempre busca seus objetivos.

Dia do pai conselheiro.

Dia do pai chorão.

Enfim, dia dos pais, que dão amor e carinho todos os dias para seus filhos.


FELIZ DIA DOS PAIS!


Abraço fraterno.
Patricia Campos

Tel: (31) 3463-2838 / 9675-5477 E-mail: seguros@patriciacamposcorretora.com.br
Site: www.patriciacamposcorretora.com.br Blog: www.patriciacamposcorretora.blogspot.com

Por prêmio de seguro, clientes inventam golpes mirabolantes

Enterrar o carro ou fazer seguro de vida em nome de pessoa em estado terminal pode ser estelionatoEmprestar a carteirinha para quebrar o galho do irmão que não tem plano de saúde. Assumir a culpa da batida e combinar com o outro motorista de ele pagar a franquia. Embora pareçam irrelevantes, essas artimanhas causam grandes prejuízos às seguradoras e podem até dar cadeia. Esses e outros golpes, bem mais criativos, geram perdas milionárias ao ramo de seguros. A última pesquisa da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg), com base em dados de 2011, revela um rombo de R$ 337,7 milhões.

E quem paga essa conta são os bons segurados. “Essas fraudes encarecem o seguro e o custo acaba sendo repassado para a grande maioria, que são os bons clientes”, afirma o presidente da Comissão de Direito Securitário da Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais (OAB/MG), Euler de Moura Soares.
Segundo o levantamento da CNse…

Melhor mês do ano, julho emplaca 323.866 carros

Imagem
O sétimo mês de 2013 foi coroado como o melhor do ano até agora. Com 323.866 automóveis e comerciais leves vendidos, o setor automotivo já acumula 2.031.499 emplacamentos desde janeiro, contra 1.984.201 registrados no mesmo período de 2012. Isso significa um crescimento de 2,4%.

Julho foi tão bom em volume de vendas que entrou para o quadro dos dez melhores meses de todos os tempos do setor, se enquadrando em nono lugar. No entanto, houve queda se comparado com julho de 2012 (quinto melhor mês da história com 351.406 emplacamentos).
Mês do Palio
Vice-líder do mês, com 16.127 unidades vendidas, o compacto da Fiat fez bonito e ultrapassou o seu companheiro de marca Uno (terceiro colocado com 15.875). Isso já havia sido registrado no fechamento da primeira quinzena do mês.
Mesmo com ótimo volume de vendas, o Palio ainda vai ter que suar muito para ultrapassar o rei do mercado Gol, que por sua vez vendeu 22.121 unidades e já acumula 143.474 emplacamentos em 2013.
O top 10 dos automóveis e come…

Índice de Confiança do mercado de seguros para de cair em julho

Imagem
Pessimismo permanece e está alinhado com as aferições de profissionais de outros setores da economia; no ramo auto, executivos mantêm otimismo quanto ao faturamento

Após a queda de 12 pontos percentuais em junho, o Índice de Confiança e Expectativas das Seguradoras (ICES) chega a 98. O resultado da aferição do mês de julho obteve alta de 0,4% em relação ao mês anterior. “Mesmo pequena, é a primeira variação positiva após três meses seguidos de queda. Entretanto, como o valor ficou abaixo de 100, as seguradoras brasileiras ainda estão com uma perspectiva pessimista”, comenta o economista Francisco Galiza, responsável pela aferição do Índice realizado em parceria com a Revista Cobertura.
Segundo o economista, em julho, a pior avaliação continuou a ser o crescimento da economia brasileira. Para 46% dos executivos das seguradoras, o desempenho econômico do País deve piorar nos próximos seis meses, enquanto 47% afirmaram que será igual e apenas 7% creem em uma melhora.
É digno de nota que a p…

Seguro pirata: cooperativa perde mais uma batalha na Justiça

A desembargadora Selene Maria de Almeida indeferiu o pedido de concessão de efeito suspensivo apresentado pela Associação dos Transportadores do Estado de Goiás (Ateg) contra a decisão judicial, que acatou parcialmente o pedido de liminar impetrado pela Susep determinando que se abstenha de comercializar, ofertar, veicular ou anunciar qualquer modalidade contratual de seguro, em todo o território nacional; angariar novos consumidores; e suspender a cobrança de valores de seus associados ou consumidores.
Segundo a magistrada, da análise do regimento interno da Ateg “resta cristalino que a agravante comercializa contrato de seguro automotivo, atividade típica que depende de autorização da Susep”.
A desembargadora acrescentou ainda, na sua decisão, que essa associação está infringindo, em um exame preliminar, vários artigos do Decreto-Lei 73/66 e da Resolução 60/01, do CNSP, uma vez “que não possui autorização da Susep e que não está obedecendo aos requisitos legais”.
Por essas razões, ela …