Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 2, 2014

Seguro de Vida: ter ou não ter, eis a questão

Imagem
O administrador e economista Samy Dana, responsável pela coluna Caro Dinheiro na Folha de S. Paulo, publicou ontem (22/01) o artigo “Seguro de Vida”, apontando que, segundo a Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), o mercado teve crescimento de 13,6% em novembro de 2013 em relação ao mês anterior. 

“Ter ou não ter seguro de vida, eis a questão?, indaga Dana, que reconhece a dificuldade do consumidor tomar essa decisão, mesmo diante do “convincente” discurso de vendas de seguradoras e corretores. “Para muitos, gastar com seguro pode parecer dinheiro jogado fora”, sustenta Dana.
Ele argumenta que uma “dica de ouro” para quem está em dúvida é levar em conta se tem filhos. “Para quem não tem dependentes, o seguro pode ser considerado desnecessário. Talvez uma reserva ou um seguro só sobre invalidez seja mais adequado”, sugere.
Entretanto, para quem possui dependentes e quer contratar um seguro de vida, Dana aconselha pesquisar para fazer comparação de preços e benefíci…

Entenda como funciona o seguro de fiança locatícia

Imagem
O seguro de fiança locatícia substitui o fiador e garante ao proprietário de imóvel urbano (locador) o recebimento dos aluguéis e encargos vencidos e não pagos pelo inquilino. Este, por sua vez, ganha agilidade na aprovação da sua proposta de aluguel.
O seguro de fiança locatícia é regulado por normas específicas, principalmente pela Lei do Inquilinato que define e limita as garantias de locação. As regras gerais do seguro de fiança locatícia foram estabelecidas pela Resolução nº 202, de 2008, do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP).
Entre as principais características está a proibição de um mesmo contrato de locação ter mais de um seguro desse tipo. Também determina que o prazo de vigência das garantias do seguro seja o mesmo do contrato de locação. Quem paga este seguro é o inquilino, seja pessoa física ou jurídica.
O seguro de fiança locatícia dispensa a necessidade de o inquilino buscar um fiador (Thinkstock) O seguro de fiança locatícia dispensa a necessidade de o inquilino…

Por que o seguro de objetos de luxo é necessário?

Imagem
Descubra o que pode ser segurado e como calcular o valor de obras de arte e joias
A partir da década de 1990, com a abertura e a estabilização econômicas, o mercado brasileiro de luxo apresenta forte expansão.
A maioria dos consumidores do segmento tem de 26 a 35 anos de idade e possui pós-graduação, apresenta renda mensal superior a R$ 10 mil, investimentos pessoais acima de R$ 100 mil e gasto médio por compra de R$ 4.710,00, principalmente em artigos de moda, alimentos e bebidas.
O sexo feminino é predominante e São Paulo concentra quase 70% do mercado de luxo brasileiro. Por sua vez, o número de voltados para o público de alta renda acompanha o ritmo de expansão desse mercado. Em geral, as apólices para automóveis mais caros, a partir de R$ 150 mil, são as mais comuns.
À medida que se desenvolve o relacionamento da seguradora com um consumidor com esse perfil são oferecidos outros produtos, como proteção para seus imóveis, obras de arte etc.
Outros produtos também costumam ser oferecid…

Sonhe

Imagem
Sem sonhos, a vida não tem brilho.


Sem metas, os sonhos não têm alicerces.


Sem prioridades, os sonhos não se tornam reais.

Sonhe, trace metas, estabeleça prioridades e corra riscos para executar seus sonhos.


Melhor é errar por tentar do que errar por omitir!

Deus sempre estará ao seu lado.


Abraço fraterno. Patricia Campos Tel: (31) 3463-2838 / 9675-5477 E-mail: seguros@patriciacamposcorretora.com.br Site: www.patriciacamposcorretora.com.br Blog: www.patriciacamposcorretora.blogspot.com

Foco no consumidor marca gestão de Luciano Portal Santanna na Susep

Imagem
À frente da autarquia há pouco mais de dois anos e meio,Luciano Portal Santanna responde pela gestão que mais alterou normas no setor, sempre com foco principal no consumidor. Com sistemas mais transparentes e ágeis, o órgão comandado por ele hoje é reconhecido por sua eficiência administrativa.
A Susep tem priorizado a maior atenção ao consumidor?
A proteção ao consumidor é um dever do estado previsto na Constituição e uma prioridade deste Governo, que criou a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e adotou diversas medias que resguardam seus direitos. Portanto, acredito que seja um dever também das autoridades reguladoras. Diria,neste sentido, que a própria existência da Susep se propõe a isso. Protegemos o consumidor quando zelamos, por exemplo, pela adequada constituição de reservas e aplicação dos ativos das companhias e quando exigimos o cumprimento dos contratos.
Quais medidas podem ser destacadas nesse sentido?
Implementamos uma série de ações de natureza específica. Entre …

Retrospectiva normativos SUSEP 2013

Imagem
No decorrer do ano de 2013 até o dia 20 de dezembro a Superintendência de Seguros Privados – SUSEP, órgão responsável pelo controle e fiscalização dos mercados de seguro, previdência privada aberta, capitalização e resseguro, publicou 43 normativos entre Resoluções CNSP e Circulares SUSEP; além de Cartas-Circulares, Portarias, Instruções, dentre outros. No ano de 2013, também, foram colocadas mais de 20 minutas de normas em consulta pública.
No começo do ano foram publicadas as normas que regulamentaram as constituições das provisões técnicas, os capitais baseados em riscos e a norma que tratou da instituição das ouvidorias pelas empresas supervisionadas (Resolução CNSP nº 279, de 30.01.2013). No início de março, através da Circular SUSEP nº 464, de 01.03.2013, foram alteradas as Normas Contábeis que devem ser observadas pelas sociedades e entidades.
Ainda no primeiro semestre, no mês de junho, houve a publicação da Circular que dispôs sobre as novas regras e critérios para operação das…