Postagens

Mostrando postagens de Maio 31, 2011

Seguro de vida: de quanto deve ser a minha cobertura?

Alguns produtos são contratados, justamente com a intenção de nunca precisarmos deles. Este é o caso do seguro de vida, item importante no seu planejamento financeiro. Você possui um?Pois este pode ser um caminho, caso tenha alguém que dependa financeiramente de você. Afinal, o objetivo dessa modalidade de seguro é justamente garantir a segurança financeira dos seus dependentes por certo tempo, caso você esteja impossibilitado de fazê-lo.Convencido a contratar um seguro de vida? Então, é hora de verificar que tipo de cobertura você precisa ter, ou seja, de quanto deve ser a indenização, para que seus dependentes tenham a tranqüilidade financeira necessária para retomar suas vidas.Analise o seu estilo de vidaÉ importante você identificar com clareza qual é o seu estilo de vida: por ele você poderá determinar o valor do seu seguro de vida. Por exemplo: se você é assalariado e ainda não acumulou o suficiente para que a sua família possa viver de renda, a cobertura do seu segur…

Porto Seguro entra no setor da telefonia celular

ENTREVISTA COM JAYME GARFINKEL JAYME GARFINKEL, PRESIDENTE DA EMPRESA, DIZ QUE NÃO QUER COMPETIR COM AS TELES, MAS OFERECER DIFERENCIAL TONI SCIARRETTADE SÃO PAULO Primeira "operadora virtual" de celular, a seguradora Porto Seguro prepara sua entrada em um ramo em que a maioria dos clientes está insatisfeita com os serviços. No negócio, a Porto aluga a rede de uma operadora e responde pelo atendimento, pela cobrança e pelo serviço ao cliente. O presidente da empresa, Jayme Garfinkel, diz que a ideia não é competir com as grandes teles, mas sim oferecer mais um diferencial para segurar seus clientes. "Eventualmente, o preço da Porto é maior, mas olha o que ela te dá: assistência residência, computador, vantagem com cartão e com celular. No fundo, fica mais barato que o preço concorrente." Apesar disso, Garfinkel diz que se preocupa com o fato de hoje a Porto Seguro ter uma imagem boa junto aos clientes e estar entrando em um setor conhecido pelo mau ate…

Ramo Garantia foi o destaque no primeiro quadrimestre

A carteira conhecida como “riscos financeiros”, que engloba os seguros de garantia e fiança – foi um dos principais destaques do mercado brasileiro no primeiro quadrimestre do ano. Segundo a Susep, a receita de prêmios acumulado nesse segmento de janeiro a abril somou pouco mais de R$ 379,8 milhões. Essa cifra é 32,6% maior que a apurada nos quatro primeiros meses de 2010.Vale lembrar que, nesse mesmo período, a Susep apurou um incremento de 16,3% do mercado brasileiro como um todo. Ou seja, os “riscos financeiros” cresceram duas vezes mais que o setor.Assim, a participação desse segmento da receita global do mercado brasileiro passou de 1,04% no final de abril o ano passado para 1,18%.Entre as carteiras do ramo de “riscos financeiros” que apresentaram melhor desempenho no período comparado está o seguro de fiança locatícia, que cresceu 21,4%, para pouco mais de R$ 72 milhões.
Fonte: CQCSAtt.
Patricia Campos
Telefax: (31) 3463-2838 / Cel: (31) 9675-5477 E-mail: seguros@patricia…

Comunicação precisa e prevenção evitam ações judiciais contra seguradoras

A informação precisa ao consumidor e estratégias de prevenção de danos – através, por exemplo, do envio do contrato de seguros para avaliação prévia do Procon – estão entre as orientações do advogado Pedro Lepikson, ex-diretor do Procon-BA, para diminuir a quantidade de ações judiciais impetradas pelos segurados contra as companhias de seguros. Na avaliação de Lepikson, podem ser evitadas as negativas de coberturas que acontecem devido a cláusulas mal explicadas ou suposta falta de leitura dos segurados. “Normalmente, essas denúncias ocorrem quando os segurados não são informados sobre os seus direitos. O Código do Consumidor diz que toda observação que diminua o direito deve ser redigida em destaque no contrato e comunicada em separado ao consumidor. Quando isso não acontece, tanto o Poder Judiciário, quanto o Procon, vão considerar que a cláusula que distorce direitos é inexistente”.O advogado sustenta que, em alguns casos, mesmo quando existe redação com destaque de alg…

Historia do pato

Havia um pequeno menino que nas férias visitava os avós em sua fazenda. Um dia ganhou um estilingue para brincar no mato. Ele praticou na floresta, mas nunca conseguia acertar o alvo.
Desanimado, ele voltava para jantar, quando viu o pato de estimação da avó e, em um impulso, acertou a cabeça do pato e matou-o. Chocado, triste e em pânico, ele escondeu o pato morto na pilha de madeira!
Sally (sua irmã) tinha visto tudo, mas ela não disse nada.
Após o almoço no dia seguinte, a avó disse: - "Sally, vamos lavar a louça".
Mas Sally disse: - "Vovó, Johnny me disse que queria ajudar na cozinha."
Em seguida, ela sussurrou ao ouvido do irmão: - "Lembra-se do pato?”
Assim, Johnny lavou os pratos.
Mais tarde naquele dia, quando vovô perguntou se as crianças queriam ir pescar, a vovó disse
- "me desculpe, mas eu preciso de Sally para ajudar a fazer o jantar".
Sally apenas sorriu e disse,
- "eu vou porque Johnny me disse que queria ajudar no jant…

Mercado em alta, sem empresas sob direção fiscal ou intervenção

O mercado de seguros vive, no Brasil, uma fase sem precedentes, com crescimento acelerado, aumento na sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) do país e uma imagem consideravelmente mais positiva do que há uma década junto à sociedade.Outra prova inconteste desse bom momento é o fato de não haver qualquer, hoje, empresa do mercado supervisionado sob direção fiscal ou mesmo intervenção, como pode ser verificado no site da Susep: http://www.susep.gov.br/.Ainda na página do órgão regulador na Internet é possível apurar que, de janeiro a abril foram instaurados 215 processos. Esse número é 22,4% menor que o registrado no primeiro quadrimestre do ano passado.Fonte: CQCSAtt.
Patricia Campos
Telefax: (31) 3463-2838 / Cel: (31) 9675-5477 E-mail: seguros@patriciacamposcorretora.com.br
Site: www.patriciacamposcorretora.com.br
*Seguro Garantia *Seguro de Vida *Plano de Saúde *Responsabilidade Civil *Equipamentos *Automóvel

Suicídio não impede pagamento do seguro

Uma empresa de seguros terá de indenizar a mãe de um segurado que cometeu suicídio sete meses depois da assinatura do contrato. A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerou que não foi comprovada a intenção de fraude contra o seguro de vida, a fim de favorecer a beneficiária com pagamento de indenização, e resolveu o caso aplicando o princípio da boa-fé contratual. A decisão seguiu entendimento da Segunda Seção, que, em julgamento realizado em abril (Ag 1.244.022), definiu que a seguradora será isenta do pagamento apenas se comprovar que o suicídio cometido nos dois primeiros anos do contrato já estava premeditado. O prazo de carência para esse tipo de indenização foi instituído pelo novo Código Civil, de 2002. A própria Terceira Turma já vinha dando essa interpretação à lei (REsp 1.077.342). SEM PROVAS. Segundo a relatora do caso em julgamento, ministra Nancy Andrighi, "a seguradora em momento algum faz prova ou sequer alega que o suicídio foi preme…

Mercado de seguros devolveu para a sociedade mais de R$ 71 mi por dia

As seguradoras atuantes no Brasil devolveram para a sociedade, na forma de indenizações, benefícios e resgates, cerca de R$ 71,6 milhões por dia, nos quatro primeiros meses do ano. De acordo com dados da Susep (Superintendência de Seguros Privados), apesar de a taxa média de sinistralidade do mercado ter caído de 51%, entre janeiro e abril de 2010, para 46% em igual período deste ano, os sinistros retidos pelas seguradoras apresentaram alta de 19,8%, chegando a R$ 8,6 bilhões. Prêmios No que diz respeito ao faturamento, ainda segundo a Susep, as seguradoras receberam R$ 32,2 bilhões em prêmios (valor pago para se ter um seguro) entre janeiro e abril deste ano.[2] O valor representa aumento de 16,3% em relação à cifra apurada no mesmo período do ano passado. Os dados não consideram o seguro saúde, que está sob a jurisdição da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).
Fonte: InfoMoney | Gladys Ferraz Magalhães
Att.
Patricia Campos
Telefax: (31) 3463-2838 / Cel: (31) 9675-5477 E-mai…

COMERCIANTE INVENTA FURTO DE VEÍCULO PARA DAR GOLPE EM SEGURO

O comerciante V. A. N., residente do bairro Ecaliptal, em Volta Redonda, tentou dar um golpe numa empresa de seguros, comunicando um suposto furto de seu veículo, na noite de ontem (24), por volta de 20h30.V. foi até a 93ª DP registrar o suposto furto de seu De Luxe 2.5 4x4, que segundo ele estaria estacionado na Vila Santa Cecília e teria sido furtado na tarde de ontem (24), mesmo tendo dispositivo antifurto.

A Polícia Civil, por intermédio dos inspetores Pablo Bafa e Clodoaldo Antônio, desconfiaram da versão do comerciante. Outro fator que chamou a atenção dos policiais foi o fato de o veiculo não ser um modelo habitualmente visado por assaltantes da região. Ao questionarem V., notaram que a historia ganhava contradições. O comerciante também começou a demonstrar nervosismo e inquietação.

A farsa foi descoberta quando os inspetores disseram que pegariam a viatura para realizar diligências no local do furto a fim de constatar a veracidade da historia e V. decidiu então co…

Legalidade do cadastro de motoristas é tema de debate

A extinção do cadastro de motoristas, como querem os Ministérios Públicos do Trabalho de alguns estados, pode causar um sério abalo na carteira de seguro de transportes. Sem o cadastro, que foi criado desde a década de 80 para evitar o crime de apropriação indébita de carga, muitas seguradoras poderão se recusar a garantir o transporte rodoviário de produtos ou até negar o pagamento de indenização. Isso porque o cadastro é uma das exigências das seguradoras para aceitação do seguro.
As possíveis soluções para esse problema foram discutidos por especialistas do setor, nesta quarta-feira, 25 de maio, no Debate do Meio-Dia da APTS, intitulado "O impacto das ações judiciais do Ministério Público no seguro de transportes - Gerenciamento de riscos / Cadastro". O evento foi coordenado pelo diretor de Responsabilidade Civil, Felippe Moreira Paes Barretto, que é sócio-diretor da Zênite Consultoria e Assessoria, empresa especializada em gestão de riscos em transportes e as…